A Quem Pertencerá o Mandato Parlamentar? Reflexões para as Eleições do Ano de 2020
PDF

Palavras-chave

Mandato parlamentar
Can-didatura avulsa
Direito eleitoral Parliamentary mandate
Indepen-dent candidacy
Electoral law

Como Citar

OLIVEIRA, A. W. de. A Quem Pertencerá o Mandato Parlamentar? Reflexões para as Eleições do Ano de 2020. Resenha Eleitoral, Florianopolis, SC, v. 24, n. 1, p. 149–162, 2020. DOI: 10.53323/resenhaeleitoral.v24i1.10. Disponível em: https://revistaresenha.emnuvens.com.br/revista/article/view/10. Acesso em: 21 fev. 2024.

Resumo

Este estudo busca analisar uma possível tendência jurisprudencial para modi-ficar a titularidade do mandato parlamentar, notadamente após a proibição das coligações nas eleições proporcionais a partir do ano de 2020, fato que poderá acarretar profundas modificações no pleito eleitoral. Trata-se de pesquisa qualitativa, cujo delineamento cir-cunscreveu-se à análise jurisprudencial dos tribunais superiores pátrios, nos últimos 13 anos, sobre a titularidade do mandato parla-mentar. Com a revisão bibliográfica foi pos-sível colher observações que sustentaram as proposições para o debate do tema. Foi cons-tatada, num primeiro momento, uma descen-tralização da titularidade (do parlamentar para o partido e depois, deste para as coligações) e, recentemente, um movimento oposto, com a proibição das coligações a partir de 2020 e uma possível oportunidade para a candidatu-ra avulsa (e consequentemente, o retorno da titularidade para o candidato). Resta aguardar se a decisão caberá ao Congresso Nacional (por meio da análise de propostas de emen-das à Constituição) ou ao Poder Judiciário (a partir do julgamento de caso concreto), bem como a forma pela qual a Carta Magna será interpretada: pelo seu silêncio eloquente ou pelo seu texto expresso.

https://doi.org/10.53323/resenhaeleitoral.v24i1.10
PDF

Referências

ALMEIDA, Roberto Moreira de. Alistabilidade e elegibilidade dos indígenas no ordenamento jurídico brasileiro. In: RAMOS, André Carvalho. (Coord.). Temas de Direito Eleitoral no Século XXI, 2012. cap. 3, p. 69-108.

BARROS, Airton Florentino de. Candidatura avulsa, sem prévia filiação parti-dária é erro grave. Boletim de Notícias ConJur, out. 2017.

BONAVIDES, Paulo. A crise das técnicas de representação. In: BONAVI-DES, Paulo. Constituinte e Constituição: a democracia, o federalismo, a crise contemporânea. 3 ed. São Paulo, cap. 5.38, 2010, p. 459-461.

BRASIL. Decreto n. 21.076, de 24 de fevereiro de 1932. Decreta o Código Eleitoral. Diário Oficial da União, Brasília, 26 fev. 1932.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm>. Acesso em: 08 set. 2019.

BRASIL. Constituição (1988). Emenda constitucional n. 97, de 4 de outubro de 2017. Altera a Constituição Federal para vedar as coligações partidárias nas eleições proporcionais, estabelecer normas sobre acesso dos partidos políticos aos recursos do fundo partidário e ao tempo de propaganda gratuito no rádio e na televisão e dispor sobre regras de transição. Diário Oficial da União, Brasília, 5 set. 2017.

BRASIL. Lei n. 9.504, de 30 de setembro de 1997. Esclarece normas para as eleições. Diário Oficial da União, Brasília, 1.o out. 1997.

BRASIL. Lei n. 4737, de 15 de julho de 1965. Institui o Código Eleitoral. Diário Oficial da União, Brasília, 19 jul. 1965.

BRASIL. Lei n. 7.454, de 30 de dezembro de 1985. Altera dispositivo da Lei n. 4737, de 15 de julho de 1965, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 31 dez. 1985.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal (STF). Mandado de Segurança n. 26.604 Relatora: Ministra Cármem Lúcia, 2007. Disponível em: <http://por-tal.stf.jus.br/>. Acesso em: 08 set. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal (STF). Mandado de Segurança n. 29.988. Relator: Ministro Gilmar Mendes, 2010. Disponível em: <http://portal.stf.jus.br/>. Acesso em: 08 set. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal (STF). Mandado de Segurança n. 30.260. Relatora: Ministra Cármem Lúcia, 2011. Disponível em: <http://portal.stf.jus.br/>. Acesso em: 08 set. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Mandado de Segurança n. 30.483Relator: Ministro Edson Fachin, 2011. Disponível em: <http://portal.stf.jus.br/>. Acesso em: 08 set. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal (STF). Mandado de Segurança n. 30.380. Relator: Ministro Celso de Melo, 2014 Disponível em: <http://por-tal.stf.jus.br/>. Acesso em: 08 set. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal (STF). Consulta n. 1.398. Classe 5ª, Dis-trito Federal (Brasília). Relator: Ministro Cesar Asfor Rocha, 2007. Disponível em: < http://www.tse.jus.br/>. Acesso em: 08 set. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal (STF). Consulta n. 1.407. Classe 5ª, Dis-trito Federal (Brasília). Relator: Ministro Carlos Ayres Britto, 2007. Disponí-vel em: <http://www.tse.jus.br/>. Acesso em: 08 set. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal (STF). Recurso Extraordinário com Agravo (ARE) 10554490. Relator: Ministro Roberto Barroso, 2017. Disponí-vel em: <http://portal.stf.jus.br/>. Acesso em: 08 set. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal (STF). Agravo Regimental no Recurso Especial (REsp.) 2243-58.2010.618.0000. Relatora: Ministra Cármen Lúcia, 2010. Disponível em: <http://www.tse.jus.br/>. Acesso em: 08 set. 2019.

CORONEL, Ângelo. Projeto de Emenda à Constituição n. 06, de 2015. Suprime e acrescenta dispositivos à Constituição Federal, possibilitando o lançamento de candidaturas avulsas, independentemente de filiação partidária. Disponível em: <https://www25.senado.leg.br/web/atividade/materias/-/materia/119631>. Acesso em: 08 set. 2019.

CUREAU, Sandra. Partidos políticos e eleições no Brasil. In: RAMOS, André Carvalho. (Coord.). Temas de Direito Eleitoral no Século XXI, cap. 7, 2012, p. 217-250.

FIGUEIREDO, Marcelo. Candidatura avulsa trará maior oxigenação ao poder político, Boletim de Notícias ConJur, nov. 2017.

GOMES, José Jairo. Democracia Representativa. In: GOMES, José Jairo. Direito Eleitoral. 12. ed. São Paulo, 2016. cap. 34, p. 67-70.

LEDESMA, Thomás Henrique Welter; REIS, Maurício Martins. A (IM)Possibilidade da candidatura avulsa à luz do elemento gramatical. Revista da Faculdade de Direito da FMP, v. 12, n. 2, 2017. p. 211-224.

MAIA, Paulo Sávio Peixoto. O Supremo Tribunal Federal como “tribunal político”. Observações acerca de um lugar comum do direito constitucional. Revista de Informação Legislativa, v. 48, n. 180, out./dez. 2008.

NOHARA, Irene Patrícia; RAIS, Diogo. Candidatura avulsa. In: MARTINS, Ives Gandra Silva (Org.). Direito Eleitoral Brasileiro. 1. ed. São Paulo, 2018. cap. 3, p. 16-63.

REGUFFE, Senador. Projeto de Emenda à Constituição n. 67, de 2019. Altera a Constituição Federal para permitir a formação de coligações nas elei-ções proporcionais municipais. Disponível em: <https://www25.senado.leg.br/web/atividade/materias/-/materia/136603>. Acesso em: 08 set. 2019.

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL (TSE). Resolução n. 22.526/07. Disponível em: <http://www.tse.jus.br >. Acesso em: 08 set. 2019.

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL (TSE). Resolução n. 22.563/07. Disponível em: <http://www.tse.jus.br >. Acesso em: 08 set. 2019.

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL (TSE). Resolução n. 22.610/07. Disponível em: <http://www.tse.jus.br >. Acesso em: 08 set. 2019.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.