Participação e Informação como Pressupostos de Democracia
PDF

Palavras-chave

Democracia
Participação
Acesso à informação Democracy
Participation
Access to information

Como Citar

VARELA, F. W.; ABREU , P. M. Participação e Informação como Pressupostos de Democracia. Resenha Eleitoral, Florianopolis, SC, v. 20, n. 1, p. 103–122, 2016. DOI: 10.53323/resenhaeleitoral.v20i1.73. Disponível em: https://revistaresenha.emnuvens.com.br/revista/article/view/73. Acesso em: 21 fev. 2024.

Resumo

O ideal democrático de representação direta construído na antiguidade foi superado pela democracia representativa. Contudo, ao longo do tempo a forma de representação política passou a apresentar um déficit de participação popular que, via consequentemente, impactou diretamente na legitimidade das normas jurídicas. Como forma de superar essa crise de legitimidade na produção do Direito, Habermas propôs a aplicação da teoria do discurso. Assim, por meio do agir comunicativo o cidadão passaria a estar posicionado de forma ativa na relação entre o Direito e a democracia. O acesso à informação, por sua vez, permite que a sociedade esteja mais preparada e tenha maiores condições de exprimir seus desejos e ideais, e ainda, que possa participar conscientemente nas decisões coletivas que lhes digam respeito. Por meio de pesquisa bibliográfica, busca o presente artigo verificar se o direito à informação e o incremento da participação do cidadão nos espaços públicos de decisão agem como instrumento legitimador e de integração entre o princípio democrático e o Direito.

https://doi.org/10.53323/resenhaeleitoral.v20i1.73
PDF

Referências

Acesso à informação. Disponível em: <http://artigo19.org/blog/acesso-a-informacao/>. Acesso em: 23 nov. 2015.

AMARAL, Sérgio Tibiriçá. O closed caption, a legenda animada, como direito fundamental de informação de terceira geração. Bauru: ITE, 2003.

f. Dissertação (Mestrado) - Instituição Toledo de Ensino, 2003.

ARAÚJO, Luiz Alberto David; NUNES JÚNIOR, Vidal Serrano. Curso de direito constitucional. 8 ed., rev. e atual. São Paulo: Saraiva, 2004.

BARROS, Lucivaldo Vasconcelos. A Proteção legal do acesso a informações sobre as atividades causadoras de impactos ambientais. Revista Eletrônica PRPE, jul. 2004.

BINENBOJM, Gustavo. Uma teoria do direito administrativo: direitos fundamentais, democracia e constitucionalização – 3ª. ed. revista atualizada – Rio de Janeiro: Renovar, 2014.

BOBBIO, Norberto. Era dos direitos. Tradução Carlos Nelson Coutinho. Apresentação Celso Lafer. 8ª. ed. reimpressão. Rio de Janeiro:Elsevier, 2004.

________________. O futuro da democracia. Tradução de Marco Aurélio Nogueira. 12ª reimpressão. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

BONAVIDES, Paulo. Curso de Direito Constitucional. 20ª ed. São Paulo: Malheiros, 2007.

_________________. A democracia participativa como alternativa constitucional ao presidencialismo e ao parlamentarismo. Revista da Academia

Brasileira de Direito Constitucional, n.º 3, 2003, p. 484.

CANOTILHO, José Joaquim Gomes. Direito Constitucional e Teoria da Constituição. 7ª. ed. Coimbra: Almedina, 2003.

CANOTILHO, José Joaquim Gomes; MOREIRA, Vital. Constituição da república portuguesa anotada. 3ª. ed. Coimbra: Coimbra Editora, 1993.

GALINDO AYUDA, Fernando. Democracia, Internet y Gobernanza: una concreción. Sequência (Florianópolis), n.º 65, 2012.

GRYNSZPAN, Mario. A teoria das elites e sua genealogia consagrada. Revista Brasileira de Informação Bibliográfica em Ciências Sociais. Rio de Janeiro: Dumará, 1996.

HABERMAS, Jürgen. Direito e democracia: entre facticidade e validade. 2ª ed. Tradução de Flávio Beno Siebeneichler. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2003. v. 1.

_________________. Participação Política, in CARDOSO, F. H. & MARTINS, C. E., Política e Sociedade. São Paulo-SP. Nacional, 1983.

HARDT, Michel e NEGRI, Antônio. Multidão: Guerra e democracia na era do Império. São Paulo: Record, 2005.

LAFER, Celso. Apresentação. In: BOBBIO, Noberto. Era dos direitos. Tradução Carlos Nelson Coutinho. 8ª reimpressão. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

LUBENOW, Jorge Adriano. Esfera pública e democracia deliberativa em Habermas: modelo teórico e discursos críticos. Kriterion, Belo Horizonte, v. 51, n. 121, p. 227-258, June 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100512X2010000100012&lng=en&nrm=iso. Acesso em 30 nov. 2015.

MELO, Rúrion Soares. Habermas e a estrutura “reflexiva” do direito. Revista

Direito GV. São Paulo. V. 1. n. 1. Maio 2005.

MIGUEL, Luís Felipe. A Democracia Domesticada: Bases Antidemocráticas do Pensamento Democrático Contemporâneo. Dados – Revista de Ciências Sociais, Rio de Janeiro, v. 45, n. 03, 2002.

SANTOS, Boaventura de Souza. Democratizar a democracia: os caminhos da democracia participativa. 2.ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

SANTOS, Boaventura de Souza e AVRITZER, Leonardo. Para ampliar o cânone democrático. In: SANTOS, Boaventura de Souza (org.). Democratizar a democracia: Os caminhos da democracia participativa. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2002.

GENTILLI, Victor. O conceito de cidadania, origens históricas e bases conceituais: os vínculos com a Comunicação. Revista Famecos. n. 19. Porto Alegre. Dez. 2002.

SELVATTI, Giovana Clair Alves Loureiro. A relação interna entre democracia e direitos fundamentais: um estudo à luz da teoria discursiva de Jürgen Habermas. In: Âmbito Jurídico, Rio Grande, XIV, n. 94, nov 2011. Disponível em: http://www.ambitojuridico.com.br/site/index.php?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=10621. Acesso em: 05 nov. 2015.

SCHUMPETER, Joseph Alois. Capitalismo, socialismo e democracia. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1975, p. 327-328.

Schumpeter apud MIGUEL, Luís Felipe. A Democracia Domesticada: bases antidemocráticas do pensamento democrático contemporâneo. Dados [online]. 2002, vol.45, n.3, pág. 500.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2016 https://creativecommons.org/licenses/by/4.0